domingo, 4 de outubro de 2009

BOLDO - Peumus boldus.

 O boldo estimula as funções digestivas, hepáticas e biliares. A parte utilizada para uso medicinal são as folhas.

Características:
O boldo, Peumus boldus, é uma árvore pequena dióica, de folhagem permanente e ramagem frondosa, áspera e rugosas de cor verde, odor e sabor aromáticoOriginária das regiões montanhosas do Chile, raramente atinge os seis metros de altura. Ostenta folhas largas elípticas, cobertas de pilosidade saliente, coriáceas e quebradiças, de cor verde – acinzentada, bordos lisos e aroma e sabor aromáticos, que medem de a 3 a 6 cm de comprimento por 2 a 4 cm de largura. Observadas à transparência, as folhas exibem pontos translúcidos que correspondem às glândulas unicelulares de óleos essências. As folhas do boldo desprendem um perfume semelhante ao da hortelã e da melissa. As flores são unisexuais, brancas, amarelas, ou roxas, campanuladas, aparecendo em pequenos grupos nas axilas foliares e terminais. O fruto amarelo amadurece em pleno Outono.

HABITAT E CULTTIVO:
O boldo é originário do Chile e do Peru, estando naturalizado na região mediterrânica e na costa oeste da América do Norte. Cresce em encostas secas e soalheiras e em pastagens de montanha. As folhas são colhidas ao longo do ano. Cultivado na Europa e também no Brasil.

COMPONENTES:
As suas folhas possuem alcalóides derivados principalmente do núcleo da aporfina. Entre os alcalóides isolados há a salientar os seguintes: BOLDINA, iso–coridina, nor–isocoridina e laurotetanina. As folhas contém ainda taninóides, entre os quais o boldosídio, peumosídio. Fornecem também um óleo essencial e flavonóides.

USO E AÇÕES MEDICINAIS - MTC.
A parte utilizada para uso medicinal são as folhas. O boldo estimula as funções digestivas, hepáticas e biliares. É apreciado como remédio para cálculos biliares, dores na vesícula ou quaisquer afecções no fígado. Combate a prisão de ventre, gases intestinais e digestão difícil. Insuficiência hepática, adjuvante nas cirroses, hepatite crônica, protetor em relação a agressões alimentares e medicamentosas. Há quem atribua às folhas do boldo inúmeras virtudes terapêuticas. Mas, é pelas suas propriedades colagogas, que fazem segregar a bílis, que se recomenda em casos de hepatites, litíase biliar ou icterícia, devido á ação da boldina e da sua essência que, em doses elevadas, provoca sono suave.

O boldo possui também propriedades estimulantes e digestivas. É usado em dores de estômago, sintomas relacionados aos problemas gástricos e falta de apetite. Serve para curar a ressaca do excesso de comida e de bebidas.
O boldo limpa as manchas da pele especialmente as do rosto causada por distúrbio do fígado. Emprega-se o suco das folhas e talos tenros, em gotas, nos casos de fortes dores de ouvido. É ainda um anti-séptico e das vias urinárias e pode ser tomado para tratar infecções como a cistite.

FÓRMULAS USADAS:
O boldo utiliza-se normalmente sob as seguintes formas gelénicas: extrato fluido, tintura, comprimidos e xarope. Há o boldo do Chile, apropriado para chás, e também o boldo que encontramos facilmente em qualquer jardim.

Há pessoas que gostam de extrair o suco do boldo e bebê-lo com um pouco de água. Há quem prefira comê-las rapidamente, tomando água em seguida. É muito amargo. Mas, a preparação ideal é o “macerado”, que se obtém deixando as folhas em contacto com a água, até que esta obtenha a cor própria do chá.
*Esta preparação é a preferida pelos ” naturais”, que a bebem à vontade durante o dia.

CONTRA – INDICADO:
O boldo não deve ser usado durante a gravidez e a amamentação. Em algumas pessoas, e em tratamentos prolongados, o boldo pode originar uma sintomatologia semelhante à da apelidada “bolsa histérica”.

*Existem outros tipos de boldos - Ex: boldo do chile, boldo da terra, boldo baiano, boldo do quintal.


*Beba chá ! JL

Um comentário:

  1. GOSTARIA DE SABER AONDE ENCONTRO BOLDO LISO
    BEATRIZ.SIL.SILVA@GMAIL.COM

    ResponderExcluir