quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

GINSENG - O Remédio p/ Todos os Males.


Ginseng é considerado o remédio universal chinês. Ginseng significa homem-raiz porque as suas ramificações parecem figurar os braços e os órgãos genitais do homem.

O nome científico do ginseng – Panax ginseng. Também se designa por Panax quinquefolium.
Espontâneo na Coréia, Nepal, Manchúria e Sibéria. Cultivado na América do Norte. A colheita só deve ser feita quando a planta está no seu máximo desenvolvimento, o que segundo alguns autores levariam três a cinco anos.

Partes utilizadas: raízes de 10 cm a 25 cm de comprimento e 1 cm a 3 cm de diâmetro. Estas raízes possuem quase sempre aspecto antropomorfo (fazem lembrar o corpo humano), sendo a sua parte exterior branco-amarelada, com secção branca, frágeis e de sabor inicialmente doce e, posteriormente, um pouco acre e amargo.

A identificação botânica da raiz de ginseng remete-nos para uma planta perene de raiz aprumada e dividida, tendo o ginseng oriental folhas em forma de palma e pequenas flores esverdeadas que aparecem no fim do verão.

Tem origem nos radicais gregos pan (todo) e axos (Cura). A raiz de ginseng tem vindo a ser utilizada na China há mais de 4000 anos devido às suas propriedades tonificantes, estimulantes e afrodisíacas. Para os chineses é uma autêntica panacéia capaz de curar uma grande quantidade de doenças. No entanto, só a partir do século XVIII é que a raiz de ginseng surge na Europa, tornando-se igualmente popular nos países ocidentais pelos seus efeitos afrodisíacos. Em função das suas extraordinárias virtudes o ginseng é hoje objeto de numerosos estudos científicos realizados em todo o mundo.

*Propriedades:

O ginseng possui essencialmente propriedades tônicas, estimulantes e afrodisíacas. Age sobre o sistema neuro vegetativo. Manifesta uma ação catalisadora do metabolismo, aumentando o anabolismo protéico e a produção de ATP (dos substratos glicídios e lipídicos), conduzindo a uma regeneração funcional do organismo. Estimula a atividade cortiço supra-renal regula o metabolismo dos glicídios (reduzindo a hiperglicemia) e o metabolismo dos lípidos (reduzindo o colesterol e os triglicerídeos). Possui ainda uma ligeira ação cardiotônica e estimulante do aparelho respiratório.

Os princípios ativos da raiz do ginseng são de uma grande complexidade química e ainda não foi possível sintetizá-los na totalidade. Porém, salienta-se a presença significativa de ginsenósidos cujas ações terapêuticas são reforçadas por minerais e oligo elementos (entre os quais se assinalam o enxofre, germânio, manganésio, magnésio, cálcio e zinco). Verificando-se igualmente em quantidades significativas a presença de vitaminas B, B1, B2, B6, biotina, ácido pantotênico, fitosteróis, ácido nicotínico, mucilagem, enzimas e outras substâncias.

*Tipos de ginseng:

Existem atualmente vários tipos de ginseng. Convém por isso especificá-los a fim de clarificar a sua origem.

*Ginseng-coreano ou vermelho (Panax ginseng C.A. Meyer) - é o ginseng por excelência, isto é, o mais rico em princípios ativos.

*Ginseng-chinês (Panax repens Max) - é aquele que é cultivado na China e na Indochina.

*Ginseng-americano (Panax quinquefolium L.) - é cultivado no nordeste dos E.U e sudeste do Canadá.

*Ginseng-russo ou siberiano (Eleutherococus senticosus Maxim) - é cultivado com fins medicinais e apresenta propriedades muito semelhantes às do ginseng-coreano.

*Modo de Utilização:

A raiz de ginseng pode ser tomada sob a forma de pó, extratos, cápsulas, ampolas bebíveis, xaropes, entre outros preparados amplamente disponíveis no mercado natural. O fato de esta raiz ser muito cara tem-se verificado que alguns produtos à base de ginseng não oferecem muita qualidade. Isto é, as percentagens de ginseng existentes no produto são, por vezes, muito mais baixas do que aquilo que se menciona no rótulo.

No caso de se obter a raiz deve-se tomá-la deixando em decocção durante 15 minutos 10g de raiz finamente cortada, por litro de água, deixando depois em infusão 1 hora. Tomar 2 xicaras por dia.

É importante mencionar que o uso de doses excessivas pode causar dores de cabeça e nervosismo. Não convém igualmente associar o uso interno da raiz de ginseng com: o café ou o chá preto, uma vez que isso também pode favorecer excitação nervosa e também com medicamentos que contenham ferro, dado que este mineral interfere quimicamente com os princípios ativos do ginseng, reduzindo os seus efeitos.

*Uso Medicinal:

O uso tradicional do ginseng remete-nos para os casos em que é necessário fortalecer a digestão, os pulmões, acalmar o espírito, incrementar energia no organismo. Por exemplo, os chineses usam o ginseng para tratar a falta de apetite, esquecimento, inquietação, palpitações, insônia, transpiração e debilidade em geral.

Durante o século XX, o ginseng foi-se popularizando no Ocidente como sendo, sobretudo um estimulante sexual, mas atualmente é recomendado em casos relacionados com: esgotamento físico, astenia (em especial, a senil) stress, convalescenças, impotência e frigidez, alterações funcionais cardiovasculares, depressão, ansiedade, insônia, doenças psicossomáticas como: gastrites, colites, enxaquecas, asma, palpitações, hiper ou hipotensão arterial, anemia, insuficiência hormonal, esterilidade masculina e feminina.

O ginseng não pode ser utilizado durante a gravidez e em tratamentos prolongados, pois pode provocar uma síndrome que se caracteriza especialmente por cefaléias, perturbações visuais, hipersensibilidade e hiperemotividade.

*Efeitos Variados:

Os efeitos do ginseng sobre o organismo são muito variados. O primeiro de todos eles é, sem dúvida, a sua ação tonificante – graças aos ginsenósidos que, ao contrário do efeito excitante provocado, por exemplo, pelo café, chá preto, cocaína e outras drogas, melhoram os processos metabólicos e aumenta a produção de energia nas células, proporcionando assim um melhor rendimento físico e uma maior resistência à fadiga. O ginseng tonifica sem excitar e sem criar dependência.

Ao nível do sistema nervoso o ginseng possui efeitos antidepressivos e ansiolíticos (elimina a ansiedade) uma vez que favorece a atividade mental, aumentando a capacidade de concentração e de memória.

O fato de o ginseng aumentar a capacidade de adaptação do organismo aos esforços físicos ou psíquicos promove simultaneamente a estimulação e equilíbrio das glândulas do sistema endócrino. Sendo também recomendado em casos de hiper ou hipotensão arterial, o ginseng tem, ao nível do sistema cardiovascular, um efeito vasorregulador, normalizando a pressão arterial.
Convém lembrar que o ginseng não é um afrodisíaco no sentido restrito da palavra. A sua ação ao nível do sistema reprodutor não consiste em excitar o desejo sexual, mas em melhorar a capacidade e o funcionamento dos órgãos genitais. Daí que estimula as glândulas sexuais, aumenta a produção de hormônios e a capacidade sexual.

*Mais saúde com ginseng! JL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário