segunda-feira, 28 de junho de 2010

Farinha de Maracujá.


Farinha de Maracujá, durante a digestão, diminui a absorção de gorduras e açúcares.

A Farinha de Casca de Maracujá (Passiflora edulis, f. flavicarpa, DEG), o maracujá, seja realmente considerada o fruto dos deuses. É um alimento natural, sem nenhum tipo de aditivo, rico em fibras. A semente é rica em óleo com alta concentração de ácidos graxos insaturados, com predominância do ácido graxo Linoléico. Em função dessa riqueza, esse óleo pode ser comparado aos óleos mais saudáveis para alimentação humana.

A casca desidratada e transformada em farinha, é outro alimento importante principalmente em função as altas concentrações de fibras solúveis e insolúveis que a possuem, 21% e 35%, respectivamente.  Vários estudos confirmam os efeitos benéficos das fibras, principalmente as solúveis, sobre o metabolismo de carboidratos e lipídeos (óleos e gorduras). Estudos epidemiológicos e clínicos demonstram os benefícios das fibras em relação a várias patologias. As fibras promovem uma limpeza no organismo, eliminando as toxinas e equilibrando o metabolismo.

O maracujá é consumido por muitas pessoas que querem se acalmar, combate a insônia, a TPM. Todas as partes do maracujá têm substâncias que beneficiam a saúde. A polpa contém vitamina C e antioxidantes, que auxiliam na proteção contra os radicais livres, na absorção do ferro, no sistema de defesa e na cicatrização. As substâncias que agem contra o estresse se concentram nas folhas. O chá das folhas ativa a serotonina e controla a ansiedade.

Apesar de somente 30%, ser aproveitado pelo homem na forma de polpa, muito utilizada para a elaboração dos mais variados alimentos, como sucos, sorvetes, cremes, drinques, etc. o restante, 70% dessa matéria-prima são desprezadas pela indústria que o processa, sendo 60% de casca e 10% de sementes.

A farinha de casca de maracujá é rica em pectina (a pectina se concentra na parte branca da casca do maracujá), uma fração de fibra solúvel capaz de reter água, formando géis viscosos que retardam o esvaziamento do estômago. Além disso, é pouco calórica: 1 colher (sopa) tem cerca de 50 calorias. No intestino, esse gel diminui a absorção de gorduras e açúcares ingeridos, mandando-os embora com a digestão. Esse efeito, junto à sensação de saciedade aumentada, auxilia na perda de peso e faz com que a fome demora mais a voltar.

Os efeitos benéficos dessas fibras já são conhecidos, as solúveis ajudam no controle de absorção de carboidratos e lipídeos, enquanto que as insolúveis na regulação do intestino, eliminando principalmente a prisão de ventre e evitam certos tipos de câncer que se desenvolvem no cólon e reto. No controle do diabetes e do colesterol, no aumento da saciedade devido ao maior tempo de esvaziamento gástrico, contribuindo para a perda de peso em indivíduos obesos, na prevenção de certos tipos de câncer, bem como em outros problemas relacionados com o funcionamento do intestino.

Testes experimentais mostraram o efeito hipoglicêmico dessa farinha em ratos diabéticos, onde a glicemia desses animais teve um decréscimo médio de 22% ao longo dos ensaios.

Em função dessas características, a farinha de casca de maracujá é um alimento muito importante para portadores de obesidade, diabetes e possuidores de altas taxas de colesterol.
Apesar desses efeitos benéficos, não é um remédio, não cura essas patologias, somente ajuda no controle dessas doenças.
Graças à pectina, a farinha impede que a taxa de açúcar no sangue aumente rapidamente, evitando os picos de glicose que prejudicam os diabéticos.

*A farinha da casca de maracujá não serve só para emagrecer, uma das ações mais poderosas desse alimento é a prevenção e o controle do diabetes, devido à sua ação hipoglicemiante. JL.

2 comentários:

  1. estou tomando e ta dando resultado, abaxou bem bem minha glecemia e tambem emagreci? a consello a usar

    ResponderExcluir
  2. que quantidade por dia devo tomar de farnha da casca do maracuja???

    ResponderExcluir