terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Alecrim - A Erva da Mente.


“Alecrim, Alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado”...

Designação latina : Rosmarinus officinalis
Habitat: Europa (litoral mediterrânico). O Alecrim é natural do mediterrâneo e foi largamente difundido durante a Idade Média por todo o Ocidente, a onde vem sendo amplamente empregado na Medicina Natural.
Identificação botânica – Arbusto lenhoso e ramoso com 50 cm a 1,60 m de altura.

As folhas são estreitas, com bordos enrolados verdes na página superiores e esbranquiçados na parte inferior.
As flores são azul-claras e esbranquiçadas, apresentando-se em pequenos cachos com um cálice curto em forma de campânula e uma corola larga.
No alecrim pode ser usada toda planta florida e folhas
O alecrim é rico em vitamina PP, vitamina C, colina, tanino, um alcalóide (a rosmaricina), etc.
A ação fisiológica do alecrim - Carminativa, estimulante, antiespasmódico, ati-séptico, dierética...

Uso medicinal do Alecrim:

O Alecrim é usado no tratamento da asma, anemia, bronquite, palidez, dismenorréia (menstruação dolorosa) , estresse, esgotamento nervoso, digestão difícil, febre, gases intestinais, gastrite, gripe, leucorréia (corrimento vaginal), nervosismo e tosse. Atua como tônico cardíaco e do sistema nervoso.

Alecrim é um fortificante e estimulante sexual feminino, promovendo o aumento do fluxo sanguíneo nos órgãos do sistema reprodutor.

Principais indicações do alecrim – Usado nas astenias e neurastenias, nas insuficiências hepáticas e vesiculares e em casos de dispepsias com meteorismo e cólicas. Também se utiliza em doenças do foro dermatológico. Muito usado em problemas de memória e concentração. Excelente para problemas de Alzheimer.

O alecrim além disso, equilibra a temperatura do sangue e, através dele, e de todo o corpo. Por isso é recomendada contra anemia, menstruação insuficiente, problemas de irrigação sanguinea.

Também atua no fígado e uma melhor irrigação dos órgãos , estimula o metabolismo.

O alecrim é digestivo e sudorífero. Ajuda na assimilação do açúcar (no diabetes) e é indicado para recompor o sistema nervoso após uma longa atividade intelectual.

É recomendada para a queda de cabelo, caspa, cuidados com a pele, lesões e queimaduras. Para curar resfriados e bronquites, para cansaço mental e estafa e, ainda para perda de memória, aumentando a capacidade de aprendizado.

O alecrim, planta nativa da região mediterrânea, foi muito apreciada ma Idade Média e no Renascimento, aparecendo em várias fórmulas, inclusive a “Água da Rainha da Hungria”, famosa solução rejuvenescedora.
Elizabeht da Hungria recebeu, aos 72 anos, a receita de um anjo (um monge), quando estava paralítica e sofria de gota.
Com o uso do preparado, recobrou a saúde, a beleza e a alegria. O rei da Polônia chegou a pedi-la em casamento.

Madame de Sévigné recomendava a água de alecrim contra a tristeza, para recuperar a alegria.
Rudolf Stein afirmava que o alecrim é, acima de tudo, uma planta calorífera que fortalece o centro vital e que age em todo o organismo.

Principais formas galênicas: Chá em infusão, extrato fluido, xarope, tintura e cápsulas.

*Lendas e Mitos: Conta-se que numa viagem Nossa Senhora sentou-se à sombra de um alecrim para dar de mamar ao menino Jesus: por isso acredita-se que a planta nunca atinja altura superior à de Jesus adulto. Outro conto diz que a Bela Adormecida foi acordada pelo príncipe com um ramo de alecrim. Os gregos usavam coroas de alecrim em festas, como símbolo da imortalidade. A crendice popular usa o alecrim para afastar olho gordo, erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver. Erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre. JL.

Um comentário:

  1. Do you love Coca-Cola or Pepsi?
    ANSWER THE POLL and you could get a prepaid VISA gift card!

    ResponderExcluir